segunda-feira, 6 de junho de 2016

Dica para pensamento oposto #1: O que é que gostavam de fazer quando eram pequenos?



Quando era pequena, perguntavam-me vezes sem conta "O que queres ser quando fores grande?". Nunca tive uma resposta à altura.

Mas agora que já somos "grandes" o que importa perguntar é o que é que gostamos de fazer? Quais são as coisas que fazemos nos nossos tempos livres que nos dão prazer?

É importante que nos dias em que nos sentimos desmotivados, ou nos dias em que temos tanto stress que não conseguimos respirar fundo, nos conheçamos bem ao ponto de saber o que fazer para nos sentirmos melhor. É muito importante este auto-conhecimento, para praticarmos o pensamento oposto.

Quando éramos crianças gostávamos de fazer tantas coisas com o nosso tempo. Agora que somos adultos só pensamos que não temos tempo.

Vamos pensar nas coisas que gostávamos de fazer quando éramos crianças. Pode ser:

  • pintar com lápis de cor, 
  • fazer puzzles, 
  • escrever, 
  • ler, 
  • cantar, 
  • dançar, 
  • jogar à bola, 
  • jogar jogos de tabuleiro ou jogos de rua, 
  • fazer bolinhas de sabão, 
  • brincar com lego ou playmobil... 


Tirem algum tempo para pensar e escolham o que mais gostavam de fazer e voltem a fazê-lo. Seja sozinhos, com a vossa cara metade, com os vossos filhos, amigos ou familiares. Ao fazermos novamente essas coisas sentimos um contentamento interior.

Pensem nas coisas que gostavam de fazer quando eram pequenos e nas que gostam de fazer agora e façam-nas. Vejam comédias, brinquem com os vossos filhos, vejam o mundo pelo olhar deles, onde é tudo novo e mágico.

Não podemos estar sempre a fazer tarefas e coisas urgentes, devemos ter tempo de lazer para equilibrar os nossos dias. Devemos ter as responsabilidades de adultos mas também o tempo de lazer para equilibrar os pratos da balança.

E vocês o que é que gostavam de fazer quando eram pequenos?



Sem comentários:

Enviar um comentário