quarta-feira, 29 de junho de 2016

Semana #4: Como correu o pensamento oposto



" Tem pensamentos bonitos e não haverá lugar para os feios.
Joyce Meyer

Esta semana consegui novamente + nos meus quadradinhos.

Continuo a praticar as técnicas que aprendi desde a primeira semana e isso praticamente não deixa espaço livre para os pensamentos maus.
Assim que noto que estou a ter algum pensamento mau, seja de preocupação, ansiedade, medo... altero esse pensamento para o seu oposto ou então sigo aquelas técnicas.

Nesta semana também me tornei mais receptiva no campo social. Normalmente, gosto de estar no meu canto e interajo com as pessoas mais próximas. Esta semana, abri as minhas portas ao mundo e deixei-me ir ao sabor das oportunidades:

  • Aceitei o desafio da minha amiga Lia e levámos os nossos pequenos a uma aula de yoga para crianças ao ar livre e nós (pais) também praticámos. Gostaram as crianças e os pais. Passámos o resto do dia juntos e foi um daqueles dias perfeitos. Boa comida, boa conversa, boa companhia, os miúdos fartaram-se de brincar e nós com eles, até jogámos jogos de tabuleiro.


  • Ontem a tia Sofia, desafiou-me para levar o André ao cinema e eu deixei-o ir. Podíamos ir os três, mas achei que eles deviam ir sem mim. Lá foram os dois, com direito a comer pipocas e tudo o que eles quisessem. No fim vieram jantar e tive outra vez momentos de boa companhia e de boa conversa.


Amanhã vou concluir se o pensamento oposto é um hábito a manter ou não.

E a vossa semana, como correu?




2 comentários:

  1. Foi um fim-de-semana em grande ;) Fico muito feliz por teres gostado de estar com a minha família :) Só depois de ler este post é que tive noção que normalmente não sais da tua zona de conforto, tal como eu ;) Nem imaginas como me tocou e a vontade que tenho de continuar a ter dias como o de domingo. Beijinhos grandes

    ResponderEliminar
  2. Sim sem dúvida, estes momentos é que dão sentido à vida. Agora que lhe apanhámos o gosto é só empenharmo-nos para estarmos juntos muitas mais vezes :) Beijinhos

    ResponderEliminar