domingo, 31 de julho de 2016

Visualização: Conclusão





Como correu o mês da visualização?


Comecei o mês a sentir-me limitada na minha visualização, mas ao longo do mês fui reaprendendo a sonhar, a visualizar. Percebi que posso visualizar o que quiser para a minha vida, posso visualizar o que quero ser enquanto pessoa, posso visualizar que aspecto quero ter, posso visualizar a minha saúde... As hipóteses são infinitas.
Percebi também que posso visualizar uma coisa hoje e outra completamente diferente amanhã, e não faz mal. Deixei de me limitar com o receio "Será que quero mesmo isto?". Visualizo o que me apetece hoje e amanhã logo se vê.

Durante este mês contei-vos como correu a minha visualização semanalmente (semana 12, 3 e 4). Contei-vos o que escolhi visualizar em cada dia, até vos contei como visualizei os meus dentes, com o objectivo de vos mostrar que não temos de ser tão sérios nos nossos desejos.


A minha opinião sobre a visualização após praticá-la


A visualização é um hábito divertido de praticar, quando conseguimos libertar-nos dos nossos limites. É um hábito que nos permite sonhar, perceber o que queremos para nós em determinado momento, perceber o que queremos ser no futuro.

Ao visualizar como queria que corresse cada dia, permitiu-me planear melhor o que queria fazer e fez ficar os meus dias mais fluídos. Permitiu-me ser pro-activa em vez de reactiva ao que surgia. Sabia o que queria fazer e quando. 
Houve muitos dias que aconteceram coisas que não visualizei, claro, mas isso é que tem piada, ver os planos que a vida tem para nós. E nesses dias deixei-me ir.



Vou continuar a praticar a visualização?


Claro que sim. É a minha oportunidade de sonhar, de saber o que quero, de construir as coisas na minha cabeça e ver algumas coisas a transformarem-se em realidade.


E vocês, têm conseguido praticar algum hábito?



Sem comentários:

Enviar um comentário