sábado, 7 de janeiro de 2017

Semana #1: Enfrentar os medos



"Uma cabeça cheia de medos, não tem espaço para os sonhos"


Hoje é dia de balanço semanal! E confesso que, desde que iniciei o blog, nunca tive resultados tão fraquinhos como os desta semana. Mas é o que é, e não vou mentir.

Se bem se recordam os medos que ando a enfrentar são o medo de conduzir, sair da minha zona de conforto e o medo de falhar.


  • Conduzir

Pois o meu plano era conduzir, no mínimo, duas vezes por semana. Tinha planeado levar o André aos treinos, visto ser um percurso relativamente fácil, para ganhar alguma prática e coragem. No entanto, esta semana não tive carro para o levar, fui com ele sim, mas a pé. Até me podia gabar da minha reduzida pegada ecológica, mas o objectivo é perder o medo e se não treinar, ele vai andar sempre aqui a crescer. Por outro lado, eu não controlo tudo e tenho de aceitar isso, quando não tenho carro não posso conduzir, é simples. Não posso é encostar-me a isso como desculpa para não praticar. Sempre que tiver a oportunidade, pratico.


  • Sair da minha zona de conforto

Esta semana voltei à minha rotina pós-festas e alterei pequenas coisas do meu dia-a-dia. Por exemplo, já há algum tempo que comemos as refeições todas na sala, esta semana comemos na cozinha. Não é nada de especial e no entanto faz-nos sentir as coisas de outra forma. Quando fazemos sempre as mesmas coisas da mesma maneira, deixamos de sentir, é sempre o mesmo e o nosso cérebro entra em piloto automático. Quando alteramos pequenas coisas, o nosso cérebro tem de pensar e nós voltamos a sentir e a apreciar tudo de modo diferente. É um bom exercício para estarmos mais presentes no nosso dia-a-dia.


  • Medo de falhar

Tenho um objectivo que quero concretizar no Verão, é um daqueles grandes, que me mete algum medo. O que fiz foi desconstruir este objectivo em pequenas acções. Esta semana comecei a realizar essas acções para conseguir atingir o objectivo maior. E para superar esse medo de não conseguir, mentalizei-me que se não atingir não é nenhuma tragédia e tracei um plano B. Assim, aconteça o que acontecer, não estou a falhar mas sim a lidar com resultados e a manter-me flexível para o desconhecido.



E foi assim a minha semana. E a vossa, como correu?



2 comentários:

  1. Não me pareceu nada fraquinha, a tua semana! Eu andei toda a semana sem me sentir presente. Não sei onde estava mas não era "aqui" nem "agora". Vou passar o fim de semana à minha procura...

    ResponderEliminar
  2. Mas se nem conduzi... Fizeste-me lembrar a série que vi no outro dia, sobre a Florbela Espanca. Virou-se para o namorado e disse "Hoje encontrei-me na rua e não me reconheci".

    ResponderEliminar