quarta-feira, 29 de março de 2017

10 razões porque vais querer fazer exercício


"Eu não acredito em idade. Eu acredito em energia. Não deixes que a idade dite o que podes ou não fazer.
 Tao Porchon-Lynch, professora de yoga com 98 anos


Pois, eu sei que muitas vezes andamos a arranjar desculpas para não fazer exercício, porque não temos tempo, porque estamos velhos, porque temos de cuidar dos filhos, marido/marida, pais, cão, gato e periquito. Acreditem que eu também já estive aí, a arranjar desculpas para me convencer a mim própria, até ao dia em que tomei a decisão de fazer exercício e já lá vão 8 anos de exercício contínuo.

No outro dia li sobre um estudo muito interessante que fizeram em 1966, em Dallas. Cinco homens saudáveis de 20 anos ficaram confinados à cama durante três semanas. Ao fim de três semanas de inactividade total, até usavam cadeira de rodas para ir à casa de banho, os músculos tinham-se deteriorado de tal forma que mal conseguiam manter-se em pé. Os investigadores do estudo comentaram que "aquelas três semanas na cama tiveram uma influência maior na perda de capacidade aeróbica do que 30 anos de envelhecimento."
Depois, os mesmos cinco homens fizeram oito semanas de treino intensivo, incluindo exercícios na passadeira e corrida de longa distância. O resultado foi inverterem completamente os danos provocados pelo repouso na cama, provando o poder do exercício físico.

Não é preciso irem já amanhã correr a meia-maratona. Aliás quem não faz exercício há algum tempo, convém começar gradualmente. Mesmo quem tem dificuldades em andar pode muito bem fazer exercícios localizados, sentado numa cadeira. É só querer, que o que não falta é exercícios por essa internet fora. 
Se mesmo assim, ainda precisam de uma motivação extra, vejam só o que o exercício moderado pode fazer por nós.



10 razões para fazer exercício físico

 

1. Melhora a memória e a capacidade cognitiva


Ao fazermos exercício estimulamos numerosas áreas do nosso cérebro e do nosso sistema nervoso central, além de estimularmos a libertação de variadas substâncias químicas, como é o caso da hormona de crescimento humano. 
E até parece que já estou a ouvir alguém a dizer "Ah, mas eu já cresci tudo, não preciso de crescer mais". Na realidade esta hormona, além de nos ajudar a crescer na idade própria, tem vários benefícios rejuvenescedores e ajuda o nosso cérebro a desenvolver novas conexões, o que aumenta a nossa capacidade de aprendizagem e de memória. Se ainda não vos convence, saibam que aquela hormona também ajuda a controlar o apetite e reduz o risco de obesidade.


2. Menor risco de doença de Alzheimer


Um estudo a longo prazo que abrangeu 1500 pessoas durante uma média de 21 anos mostrou que apenas duas sessões de actividade física nos tempos livres por semana reduziam para metade o seu risco de Alzheimer.


3. Menos afrontamentos


Se alguém por aí, estiver perto da menopausa, tem mais uma razão para fazer exercício. Um estudo realizado na Universidade de Granada revelou que 3 horas de exercício por semana podiam reduzir significativamente os afrontamentos intensos e outros sintomas da menopausa, aumentando a qualidade de vida global da mulher.


4. Aumento da auto-estima


Se nos sentirmos bem connosco próprios temos mais probabilidade de levar um estilo de vida saudável.
Um estudo analisou as alterações na auto-estima em mulheres com idades entre 60 e 75 anos com peso excessivo que participaram num programa de exercício de alongamentos-e-tonificação ou num regime de caminhada rápida, durante seis meses. Ambos os programas provocaram melhorias na auto-estima.


5. Melhor gestão do stress


O stress acumulado desencadeia um fluxo de substâncias químicas concebidas para nos preparar para fugir. O nosso coração bate mais depressa e com mais força, os nossos pulmões aspiram mais oxigénio, o nosso fígado liberta glicose para fornecer energia aos músculos e o sistema imunitário prepara-se para eventuais ferimentos.
Se nos deixarmos ficar sentados, toda esta energia não tem para onde ir, o que vai danificando o nosso organismo com o passar do tempo, porque debilita o sistema imunitário, contribui para a perda da massa óssea, fraqueza muscular e para a aterosclerose, aumenta os níveis de insulina que conduzem a níveis mais elevados da perigosa gordura abdominal.
Apenas 20 minutos de corrida ou a subir escadas fazem mais para acalmar a ansiedade induzida pelo stress do que ficarmos sentados imóveis numa divisão tranquila durante os mesmos 20 minutos.


6. Sistema imunitário mais forte


Sempre que praticamos exercício moderado de um modo consistente, todo o nosso organismo é sujeito a tensão, o que estimula a libertação de hormonas e substâncias químicas ligadas ao sistema imunitário.
Existem estudos que revelam uma correlação entre a actividade física e menores riscos de infecções das vias respiratórias.


7. Melhor vida sexual


Apenas 30 minutos por dia de exercício vigoroso são suficientes para reduzir entre 37 e 58% os riscos de disfunção eréctil, no homem.
Além disso, quanto mais em forma estivermos, maior a frequência e satisfação sexuais, mesmo em pessoas idosas.


8. Menos gordura abdominal


O exercício é fundamental para reduzir o tamanho das células de gordura que se acumulam à volta do abdómen. Esta gordura, que se acumula nos órgãos abdominais e no fígado, é a mais preocupante visto que contribui para inflamações, resistência à insulina e diabetes.


9. Alívio da depressão


Segundo um estudo realizado em pessoas com depressão grave, o exercício físico não só contribuiu para melhorar a depressão, como se verificou uma taxa de recorrência muito menor relativamente a pessoas que apenas tomam medicação e não fazem exercício.


10. Mais força muscular


E por último, o mais óbvio mas, que por vezes esquecemos. Ao fazermos exercício estamos a fortalecer o nosso corpo e a aumentar a nossa massa muscular. Ao sermos mais fortes, vamos desempenhar as nossas tarefas diárias com maior facilidade.
Por outro lado, existem alterações moleculares na produção de hormonas pelo nosso organismo e quanto maior a massa muscular, melhor as células fazem uso da insulina para absorver a glicose. Estes dois factores têm um papel fundamental para prevenir a inflamação, obesidade, doenças cardiovasculares e diabetes.


Fontes:
 
Harrar S, Gordon D (2011) Viva melhor, com saúde e longevidade. Selecções do Reader's Digest, Porto Salvo. 398 pp.









Sem comentários:

Enviar um comentário