quinta-feira, 13 de abril de 2017

Como faço o meu menu semanal






Uma grande ajuda para conseguir uma alimentação saudável é planear as refeições. Faço o menu semanal há três ou quatro anos, e já não passo sem ele. Durante este tempo, fui adaptando o menu semanal às rotinas cá de casa. Quando levava almoço para o trabalho, fazia mais quantidade de comida ao fim de semana e só esporadicamente é que fazia refeições à noite para levar no dia seguinte.

Neste momento, como tenho a sorte de almoçar em casa, faço o almoço todos os dias. Ao jantar comemos sopa, por isso ou faço uma panela de sopa que dá para a semana toda ou faço várias sopas, durante a semana.
É muito importante que o menu seja flexível, para se adequar a nós e às nossas necessidades e não uma ditadura que nos faz querer desistir ao fim da primeira semana.
Hoje vou falar-vos de como faço o meu menu semanal e das vantagens que encontrei.



Como faço o meu menu semanal


1. Aproveitar as promoções

À sexta-feira vejo os panfletos das promoções em vigor, costumo ir ao Pingo Doce, por isso é esses panfletos que consulto aqui.
À medida que vou folheando os panfletos, vou escrevendo o que me interessa num papel de rascunho e coloco o preço à frente.
Os legumes e a fruta compro numa feira ao pé de casa. Como não há promoções, opto por legumes e fruta da época, mais económicos e nutritivos.
A carne compro num talho em que tenho alguma confiança.



2.  Decidir as refeições

Depois de ver os panfletos em vigor para essa semana, vou à minha agenda e escrevo a lápis as refeições que quero fazer, baseada nas promoções que existem e no que nos anda a apetecer comer. Só no fim de cada dia é que escrevo a caneta, porque às vezes há alterações.
Aqui sigo alguns truques que me ajudam a optimizar os meus dias:
  • Os dias mais livres e em que tenho tempo de cozinhar são a 2ª e 4ª feira, pelo que neste dias costumo planear refeições mais elaboradas ou receitas novas que quero experimentar;
  • Nos dias mais ocupados (3ª e 5ª feira), costumo planear refeições mais simples. Agora que chegou a Primavera, as saladas são as minhas grandes aliadas nestes dias;
  • À 6ª feira, não consigo cozinhar pelo que comemos o que tenha sobrado dos outros dias. Quando planeio as refeições, há sempre um dia em que cozinho em maior quantidade, para haver sobras;
  • Aos fins de semana, normalmente comemos peixe grelhado, quando estamos em casa. Mas também é aos fins de semana que, muitas vezes, almoçamos com a família alargada. Nos dias em que almoçamos fora de casa, não planeio o menu;
  • Antigamente, tentava fazer refeições de peixe e carne alternadamente. Actualmente, tento ter mais refeições vegetarianas e de peixe do que de carne. Passei de três ou quatro refeições semanais de carne, para uma ou duas no máximo;
  • Além das refeições, planeio a(s) sopa(s) e as saladas como acompanhamento



3. Inspiração


Quem cozinha frequentemente sabe que a parte difícil não é o cozinhar, para mim essa até é a parte divertida. O que custa, por vezes, é pensar no que vamos fazer, todos os dias, dia após dia. O menu semanal veio facilitar em muito essa tarefa. Porque além de só pensar nisso uma vez durante a semana, consigo ter uma visão do que vamos comer e variar acompanhamentos e refeições.
Quando não tenho muito tempo livre para fazer o menu, vejo refeições que fiz em semanas anteriores para tirar ideias. Quando tenho mais disponibilidade, vejo livros e sites de receitas para me inspirar.



Vantagens de fazer um menu semanal


1. Poupo dinheiro

Antes do menu semanal, ia ao supermercado e decidia na altura. Gastava dinheiro em coisas que não faziam falta, coisas que acabavam por ficar esquecidas nos armários para além do prazo de validade. Andava a deitar dinheiro ao lixo.


2. Só vou ao supermercado uma vez por semana

Antes de planear era quase certo que me esquecia sempre de qualquer coisa para algumas das refeições, o que fazia com que tivesse de voltar ao supermercado. E, claro, não vinha de lá apenas com o que faltava, trazia sempre mais qualquer coisa, o que também contribuía para um maior gasto.



3. Mente mais liberta

Sabem aquele pensamento "O que é que vou fazer para o almoço/jantar?". Ou a sensação de abrirmos o frigorífico à espera de uma inspiração divina que nos diga o que cozinhar?
Como só penso nisso uma vez por semana, basta-me consultar a minha agenda e sei sempre o que vou cozinhar.


4. Permite refeições mais variadas e saudáveis

Quando planeamos, podemos ter uma noção melhor do que comemos e variar tanto os acompanhamentos, como as próprias refeições. Houve uma altura em que os acompanhamentos cá de casa se resumiam a batatas, arroz e massa. Agora, exploramos todo um mundo de acompanhamentos, tratamos por tu a quinoa, o millet (milho-painço), o trigo sarraceno e os couscous.


5. Permite um planeamento das refeições

Desde que tenho o menu semanal, deixei de ter problemas em fazer refeições mais complexas. Por exemplo, se quiser fazer uma refeição de bacalhau e tenha que o demolhar, consigo planear isso facilmente na agenda, em vez e estar a ocupar a cabeça com estas coisas.
Outro exemplo, esta semana cozi grão e já planeei uma refeição da semana que vem para utilizar o grão cozido.
Este planeamento, evita desperdícios e comida estragada, o que nos leva novamente ao primeiro ponto.



E é assim que faço o meu menu semanal, e vocês costumam planear as vossas refeições?





Sem comentários:

Enviar um comentário