sexta-feira, 19 de maio de 2017

Como passei o "bichinho" da leitura ao meu filho



Já lá vai o tempo em que os pais diziam aos filhos "Faz o que eu digo, não faças o que eu faço". Nos dias de hoje já é do conhecimento geral que as crianças são fortemente motivadas pelo exemplo dos pais. Se passamos os nossos tempos livres no computador ou a ver televisão, não estamos à espera que eles se ponham a ler nos tempos livres deles.

Um dos meus desejos para o André sempre foi que ele gostasse de ler, que gostasse mesmo e não o fizesse por obrigação.
Então como consegui concretizar o meu desejo?



Dar o exemplo


Como sempre gostei de ler, não foi difícil dar o exemplo. Nos meus tempos livres é mais frequente encontrar-me a ler do que a ver televisão ou estar no computador. E ele sempre achou graça a ver os livros que eu estou a ler e a perguntar-me qual é a história.



Livros sempre acessíveis


Existem casas em que os livros estão em prateleiras muito altas, onde as crianças não chegam. Aqui em casa a maioria dos livros estão em estantes no chão. Além disso, sempre incentivei o André a mexer nos livros e a folhear, nunca lhe disse que determinado livro não era para a idade dele, deixo-o explorar.
Aliás, ele tem a própria estante com os livros dele. Mesmo quando ainda não sabia ler, de vez em quando lá os tirava todos para o chão e começava a ver as imagens.



Contar a história da noite


Este é um clássico. Já vimos em milhares de filmes os pais a lerem uma história aos filhos antes de adormecerem. E resulta.
Este é um dos rituais mais queridos cá em casa. Desde que o André era bebé que sempre lhe contei uma história antes de dormir. Agora que ele já sabe ler, os livros foram evoluindo e eu conto uma página e ele outra.



Deixá-los ler sozinhos


Desde que o André aprendeu a ler, incentivei-o sempre a ler sozinho. No início, sugeria-lhe ler nos tempos livres e agora ele próprio lê quando tem vontade. Quando anda muito calado, é fácil encontrá-lo na cama a ler.
Nunca o obriguei, nem nunca utilizei a leitura como um castigo. A leitura deve ser um prazer.



Oferecer livros que eles gostem


Existem tantos livros para crianças, que por vezes é difícil escolher. Quando vamos ao supermercado ou a uma livraria deixo-o andar a descobrir os livros e ando sempre atenta às conversas dele sobre o que gosta. Agora com 9 anos, alguns dos preferidos são O Diário de um Banana, Os Cinco e Uma aventura. É muito frequente oferecer-lhe livros, em datas especiais e não só.
Também costumamos ir, todos os anos, à feira do livro e deixo-o sempre escolher um livro para trazer para casa. 
Se quiserem descobrir bons livros para crianças recomendo o blog Planeta Zorp da Alexandra.


E por aí, também costumam oferecer livros às crianças?






Sem comentários:

Enviar um comentário